6 de maio de 2007

Realidade Pintada

Hoje eu estava empacotando minhas compras do supermercado quando veio um senhor com deficiencia mental tentar me ajudar, eu já tinha terminado, mas ele insistiu em conduzir o carrinho até o carro eu não sabia o que fazer a situação era nova então permiti, meu pai ficou para trás pagando a compra, quando chegamos no carro eu avisei que eu teria que esperar meu pai abrir o carro, mas que ele podia voltar para o supermercado. o senhor perguntou meu nome e indagou se meu pai era quem ele pensava ser eu disse que sim mas que ele não precisava ir até meu pai ele insistiu em pedir a chave para meu pai quando ele chegou no meu pai (que já estava no meu campo de visão) não sei ele disse, mas vi os dois caminhando em direção ao carro, fiquei com medo que meu pai tivesse dito algo grosseiro ou coisa do tipo, mas quando vi que os dois caminhavam em direção ao carro fiquei mais calma. Quando meu pai abriu nós começamos a colocar as coisas dentro do carro, o senhor pegou uma sacola para ajudar foi quando meu pai disse algo que jamais imaginei:
- saia daqui, vai, vai. não queremos sua ajuda!! - ele foi estremamente grosseiro.
Fiquei com um pouco de pena do senhor que voltou ao supermercado muito triste, então comecei a discutir com meu pai dizendo que ele não podia ter feito isso, que o senhor só queria ajudar e que ele não precisava ser tão grosso. Meu pai retrucou que ele já havia negado ajuda antes, que o cara devai ter se tocado de que nós não precisavamos ajuda e que não é culpa dele o cara ser um idiota. Sei que meu pai é preconceituoso e insensivel porque nasceu numa época em que isso era comum, mas aquilo que ele disse me partiu o coração. Foi quando percebi que na verdade não tinha pena do senhor por sofrer muito esse tipo de preconceito, mas sim do meu pai por pensar daquela maneira. Talvez o senhor tenha até sorte, se é que não é hipocresia pensar assim, porque para chegar onde ele chegou ele deve ter tido muito amor em sua familia, e no supermercado as pessoas pareciam gostar muito dele. Talvez ele tenha mais sorte do que certas pessoas que vivem realidades horriveis nos suburbios, pois essas pessoas entendem perfeitamente o que acontece e ele não, ele ve tudo pintado.
Sei que estou sendo hipócrita, mas no fundo penso assim.

Texto tirado de um e-mail e editado por mim!

2 comentários:

Maria Amália disse...

oiii xaxa... então.... bonita a história.... mais... num tem mto o q comentar..
soh que...
FUI A PRIMEIRA!!!!
huahauua
bjsss

Lenise disse...

Nossa, gostei da historia *-*

Na real, preconceito pra mim é a pior coisa que existe e panz :\