23 de julho de 2007

Agradecimentos e coisas mais

Bom sem fotos neste post!
Agradeço e Pat e a Bella pela indicação para o premio blog cinco estrelas...estou rpofundamente agradecida, afinal isso apenas demosntra o carinho que recebo aqui. Agradeço a todos pelos comentário porque também são lindas demosntrações de carinho.

Acatando ao desafio da Pat aqui digo as musicas que costumo ouvir quando estou no pc:
A verdade é que não costumo ouvir musica no pc, sou um pouco lesada e a musica me desconcentra sabe? Mas costoumo ouvir de tudo, tudo mesmo! Meu estilo favorito é pop e rock e suas variações entre si.
Gosto mto de tudo, antes tinha muito preconceito com certos estilos de musica, quando passei a ver rebelde e ouvir RBD percebi que não fazia sentido me privar de coisas por medo de gostar...axo que é por isso q a maioria não faz muita coisa: medo de gostar.
Enfim curto de tudo um pouco, axé, rock, pop, forró, black e sinto vergonha em dizer que até um pouco de funk e pagóde (rsrsrs)
sei que teria que indicar pessoas para o desafio, mas não tem regras e não tenho certeza se preciso mesmo indicar por isso vou deixar em aberto ok?

Sobre o desafio da bella: Tenho que pegar um livro qualquer e postar a quinta frase da pag. 161...vamos lá:
Livro: Garoto encontra garota
Autor: Meg Cabot
Frase: Fala a verdade: samba-canção ou cuequinha?
hauahuahuahuahauhauha
sim é essa minha frase! a malicia me persegue!
amei esse desafio, peguei o primeiro livro q vi e deu nisso...imagina se eu procurasse!
hauahuahuahuahauha
aceitem o desafio qm quiser!

bjusss

22 de julho de 2007

Não quero ser assim!

Não quero que no futuro meu casamento seja visto como fracassado.
Não quero brigar com meu marido o tempo todo, mesmo que no fundo eu o ame.
Não quero me impor sem motivos racionais para meus filhos.
Não quero mentir sobre meu passado para minha futura familia.
Não quero que meus filhos tenham medo de falar comigo.
Não quero fazer diferença entre meus filhos.
Não quero cometer os mesmos erros de meus pais.

Eu amo muito meus pais, mas não posso dizer que os entendo e aceito. Se tem uma coisa que eu sinto muita falta é do poder da conversa, meus pais perderam isso, não só entre eles, mas entre eu e eles também. Tudo é na base da imposição, ameaça, medo. Não posso ser contra nada e tenho que aceitar de cabeça baixa e eles que me criaram para responder e brigar pelo que eu quero, mas não me deixam exercer este poder!

No meu futuro quero que meus filhos possam conversar comigo e me ver como amiga, quero ver que mesmo no fim dos meus dias eu e meu marido ainda nos amamos e respeitamos. Pode ser coisa de filme, mas se não existisse na vida real não existiria no filme certo? Tem tanta coisa que meus pais fazem de errado comigo e eu fico sem poder fazer nada, tem outras coisas que acontecem comigo e não posso contar para eles porque eles podem não entender. Tinha que ter uma outra geração entre eu e eles, no fundo sei que esse abismo entre eu e eles é devido a diferença de idade e isso interfere em todo o resto como a diferença de pensamento, regras e tudo isso dificulta a comunicação que é a base de qualquer relação, na minha humilde opinião.
Se eu conversasse mais com eles todas essas diferenças seriam minimas, mas eles não me criaram para dialogar, eu cresci vendo eles brigarem sem nunca conversar, aprendi a conversar com minha vó e minhas tias.
Tudo acaba sendo um grande ciclo: Eles são muito velhos, pensam diferente, não vão mudar, não querem conversar, acaba tendo um grande abismo. Vou me sentir incompleta o resto da minha vida por não ter podido brigar com meus pais na minha adolescencia, não ser igual as outras garotas da minha idade, não aproveitar as coisas em cada tempo. Talvez daqui a alguns anos isso tudo já tenha mudado em minha cabeça, mas na cabeça deles não e nada mais vai mudar ali! Os dois tem mais de 55 e depois dos 50 a cabeça para de se formar, nada mais entra e começa a sair apenas imposições, antes era mais fácil porque era só meu pai, agora minha mãe também!
Eu tinha uma certa liberdade que minha mãe tinha me dado porque ela deposita uma certa confiança em mim, mas agora meu pai esta morando conosco novamente e ele não pode me dar essa liberdade porque ele já tem mais 65 e na cabeça dele mulher tem que ficar no fogão, minha mãe não tem forças para discutir e eu não posso porque sei que não vale a pena, acaba sendo que eu perco a pouca liberdade que tenho e depois do escurecer tenho que estar em casa, isso resulta nas mentiras que eu conto...mas nem tente explicar para eles porque não vale a pena!
Essa impotencia minha diante do sistema me deixa profundamente magoada e é por isso que eu escrevo para não me sentir só nesse meu mundo de faz de conta, para poder me sentir mais leve depois de escrever o que eu penso e falar o que eu quero, mesmo sabendo que quem eu quero que leia nunca vai ler.

19 de julho de 2007

Lágrimas escorrem por sua face manchada e inchada.

Perdida entre as gotas salgadas que descem pelo seu olho e andam por todo seu rosto ela sem lembra da briga que acabou de acontecer, mal acreditava que tinha ouvido aquilo de seu proprio pai, mas pior era lembrar que aquela não era a primeira vez. A garota que se julgava perfeita e tentava ao maximo não brigar, atender a rigidez daquela educação, tudo para compensar o que ela não sabia fazer direito, seja lá o que fosse. Mesmo diante dos fatos que lhe mostravam que ela era a filha perfeita seu pai duvidava de tudo o que vinha dela ou ia para ela, uma falta de confiança que ela julgava desnessessária, já que de toda familia ela era a unica centrada. Se ela contasse tudo o que sabia não seria daquela maneira, mas ela não podia contar, seria uma terrivel crueldade de sua parte.

Ela só não entendia como ele podia lhe dizer aquelas coisas horriveis para ela que era sua propria filha, como ele podia? Estava cada dia mais claro que eles não conheciam ela, que ela não pertencia aquele lugar. Uma vontade subita de jogar tudo para o alto, pegar um onibus e sair da cidade sem olhar para trás toumou seu pensamento, mas era um plano idiota. Apesar de tudo ela sabia que iria sentir falta daquele lugar e daqueles que se julgavam sua familia, quem sabe em alguns anos?

Ela se virou na cama, sentiu mais lagrimas cairem de seus olhos, aumentou o som e colocou o fone de ouvido. Nem mesmo a musica te distraiu. Ela estava incomformada demais com as palavras que havia ouvido para esquece-las tão rapidamente. Seu pensamento dava voltas e voltas e sempre parava no mesmo ponto: COMO? Como ele podia falar aquilo? Se ele falava aquilo com tanta facilidade e convicsão talvez ele não merecesse ser seu pai.

Mais lágrimas rolaram, mais soluços se fizeram, mais musicas tocaram e no fim de tudo ela pegou no sono tentando esquecer toda aquela triste e inesquecivel mágoa em seu coração

Ficou bom??????
*carinha de anjo*

Amigos olha que coisa boa fui recém indicada para o prêmio Blog 5 estrelas criado pelo blog Nada para mim (regulamento: http://npramim.blogspot.com/2007_07_01_archive.html) por causa do di do Blog, 31/08 mto legal né? A indicação e o dia do blog!

Agradeço eternamente a Bella por ter me indicado e aqui vão minhas indicações:

-Tudo por acontecer em...
-Mapa do meu nada
-Pat Beijo
-Preso no extase temporal
-O Beijo do escorpião

Entrem no link do regulamento...não só os indicados mas todos pq qm não foi indicado pode indicar do mesmo jeito!

16 de julho de 2007

Espelho quebrado e coisas masis

Julgamento de assassinato acaba em casamento
Nagy contou que inicialmente havia pensado em recusar ser jurado porque tinha muito trabalho. "Certamente valeu a pena o serviço público", admitiu ao jornal.
Quem disse que fazer parte de um júri é uma chateação? Para dois trintões nova-iorquinos, participar de um julgamento por assassinato no ano passado foi a oportunidade perfeita para se conhecerem... e se apaixonarem.
"Alguns júris são sérios, outros são sóbrios, mas este parecia estar cheio de pessoas sorridentes e felizes", disse Lewis.

"Estávamos muito tempo na sala dos jurados e não podíamos conversar sobre o caso. Então falávamos sobre filmes, viagens, de tudo. Foi uma maneira muito boa de conhecer alguém", contou Nagy.

O casal vai se casar no próximo mês com o mesmo juiz da Suprema Corte que presidiu o julgamento por assassinato. Daniel Lewis, o magistrado, contou ao jornal que, na época, percebeu que algo estava acontecendo entre os jurados.

Outros jurados logo perceberam o clima de romance no ar. "Uma mulher me encontrou no banheiro e me disse: 'Acho que você deveria sair com Jon'", lembrou Nagy. "Acabamos saindo para almoçar num dia que tivemos uma pausa mais longa, e dali em diante, tudo foi num crescendo".




Sim eu participei do desfio espelho quebrado, fui desafiada pela minha amida Elza do Nada pra mim (link ao lado nos amigos de papel)

o link acima eh das regras do desafio e uma das regras eh desafiar 7 pessoas certo?

qm eu desafio são:

-Tudo por acontecer em...
-Preso no extase temporal
- Contos de Fada
- Sunny Essence
- Mapa do meu nada
- Complicada e perfeitinha
- Pat Beijo
ps: qm jah participou naum precisa participar novamente e qm naum quiser tbm naum precisa ok?


Você disse que se importava comigo mais do que com os outros, então me explique porque você fez tudo o que fez? Porque sumiu desse jeito? Você não me disse a verdade no ultimo momento, como posso saber se você disse a verdade todos esses anos? Porque você se quer me deu a oportunidade de olhar para você depois que tudo se desfez? Porque você não pode ter um pouco de dignidade e me deixar falar tudo o que eu sinto neste exato momento para você? Tudo o que eu venho guardando esses meses todos, todas essas magoas que vem se acumulando por mais orgulho que eu tenha eu sofri e ainda sofro com isso tudo, mas você não se importa né? Gostaria de saber como seria se você soubesse de tudo o que eu estou pensando de você, gostaria de saber se você fugiu com medo deles ou das minhas palavras, gostaria de saber se você realmente se importa, se você alguma vez me disse a verdade. Sinto um aperto no peito cada vez que lembro o modo dissimulado que agiu, estou com ódio de você, mas não é um ódio puro, antes fosse, o que eu sinto por você é ódio rechado de mágoa e acompanhado por nojo. Por mais que eu te odeie neste momento você foi muito importante para mim sabia? Me ensinou muitas coisa que jamais vou esquecer, eu não tenho vergonha de dizer que confiava muito em você, mas tenho vergonha de dizer que hoje não confio em mais ninguém por sua culpa, você tem alguma noção do quão ruim é isso?
Sabe não quero esquecer de nada do que aprendi com você, nem as coisas que você me ensinou nem as que eu aprendi como lição, mas eu sinceramente gostaria de te esquecer. Não gosto de ligar a televisão ver uma atriz e perceber como são parecidas, não gosto de mecher no orkut e sem querer querendo te achar, ver que você age normalmente e segue sua vida numa boa, enquanto eu talvez tenha que deixar meus melhores amigos para trás porque você desfruta do pagamento do meu colégio, isso sem o menor peso na conciencia. Eu nunca te fiz nada, sempre te defendi, te escutei, me interessava por sua vida porque tinha em você uma irmã mais velha, agora vejo que você uma das pessoas que eu mais amava vem e destrói minha vida em um momento tão bom, um momento em que eu poderia ser feliz sem depois de uma briga com meus pais sentir sua falta, odeio quando penso que você seria a unica a me entender, e sei que naquele momento é só de você que eu preciso. Isso dói, corta meu coração, apodrece minha alma.
Escondo de todos que eu sinto sua falta, que eu gostaria que fosse tudo diferente e que nessa história alternativa você fosse como eu achava que você era, onde você ainda estaria do meu lado me dando conselhos sobre garotos e me protegendo das brigas com meus pais, mas não me arrependo de saber a verdade, nem um pouco. Acho que o que eu quero dizer é que sinto sua falta, gostaria de nunca ter te conhecido, mas já que conheci e já que deu no que deu gostaria de olhar na sua cara e dizer o que eu sinto, para você ver como me machucou e saber se você sente um minimo de remorso por isso, ver toda a verdade sair da sua boca, nego - te perdão, porque o que tu fez não tem perdão. Se eu ficaria entre você e um revólver? Definitivamente sim, porque nem eu sei, pena talvez, mas com toda certeza afirmo não seria por amor como antes.
Tu me iludiste com a melhor das mentiras, me negou a pior das verdades e agora o que me resta é rezar para que justiça seja feita e que ao menos te doa saber que por tudo o que fez eu venho a sofrer.
Ninguém disse que o mundo é justo, mas nunca disseram que ele é injusto

14 de julho de 2007

Família

Como amigos família é uma coisa dificilima de definir o que é, mas diferente do ultimo post eu nem se quer vou tentar definir, a vontade é enorme, mas acho melhor me conter e falar apenas da minha família.
Essa enorme família que eu tanto xingo, mas que amo mais que tudo. Não escolhi conviver com nenhum deles e muitas vezes desejo que eles sumam e parem de se meter onde não devem, outras vezes quero ficar com eles conversando, ouvindo histórias do passado e ganhando grandes motivos para terapias futuras.
Encontro na minha vó alguem muita sábia.
Encontro nas minhas tias e tios pessoas divertidas, chatas preocupantes e preocupadas.
Encontro nos meus primos a alegria da amizade imposta, segredos eternos e muita zoação.
Encontro no meu irmão alguém que sempre esteve do meu lado e que apesar de fazer muita besteira eu sempre vou amar.
Encontro nos meus pais coisas que encontro em todos acima, pois os amo incondicionalmente e sei que é reciproco.
Encontro nos meus amigos uma família que eu pude escolher.
Amo a todos incondicionalmente e sei que sem eles eu provavelmente não seria nada, mas queria deixar claro aqui o quanto me importo com eles.
Posted by Picasa

10 de julho de 2007

AMIGAS

Quem podemos chamar de amiga?
Aquela pessoa que senta do seu lado no horario de aula?
Alguém que te chama para dormir em casa?
Uma pessoa que chinga outra junto com você?
Talvez seja alguém que te faça rir
Quem sabe aquela que te da um ombo para chorar?
Já sei amiga é alguém que sabe como você esta pela sua voz no telefone, ou pelo seu olhar mesmo quando você esta longe ou de perfil, alguém que chama seus pais de tio e tia, que tenta te consolar mesmo quando odeia fazer isso, alguém que te atura falando o filme todo, que fica horas no telefone falando sobre a mesma coisa chata (vc mesma), alguém que sabe sua agenda de cor, alguém que não fica bravo quando sabe que você esta brava com ela, alguém que nunca conta segredos seus mas acaba te contando o dos outros, um anjo especial que te entende quando você esta nas piores situações, mesmo que nunca tenha passado por aquilo, alguém que chinga e crucifica seus pais e depois tenta por juizo na sua cabeça, uma pessoa que fla que seu cabelo esta estranho, que você esta dando bandeira demais, que seu senso de moda é uma piada, que você esta chata e te empresta o casaco quando vaza. Que te enche o saco fazendo você rir quando esta prestes a chorar, que te da conselhos sem nem te conhecer, que se importa sem nunca ter te visto.
Amiga é uma palavra usada para designar alguém com quem você pode contar mesmo depois de ter dito bárbaridades para ele, que esta sempre ali te ajudando não importa em que sentido, que sente a dor que você sente, que te diz a verdade sempre, não importando a ocasião, que te ouve e coloca juizo em sua cabeça.
Amiga é um ser celestial, que te acompanha e te breca, que te ama mesmo sem ser amado, não tem como descrever amizade, é como descrever o amor: Impossivel!
Porque as melhores coisas da vida são assim, sem explicação, são coisas para se sentir sem entender.

Dedico este texto para todos meus amigos, porque não tem essa de amigo de verdade, amigo é amigo o resto é colega ou inimigo (ou naum muda nada em sua vida). A todos vocês.
Amigas de infancia e pré adolescencia (Quarteto Fantastico)
Amigas recentes de colegial (Juh, Isis, Érica, Bruna)
Amigas que tem o mesmo sangue (Ana, Aline, Nádia, Julia)

Também tem os meninos claro....quando digo amigas é puro feminismo ok?
Amigos recentes de colegial (André, Dud´s, Vini, Hermano, Ed., Daigo)
Amigos de infancia e pré adolescencia (Murillo, Diego, Rodrigo, Felipe)
Amigos que tem o mesmo sangue (Rafael, Gustavo, Thiago, Alexandre - e por aí vai)

E meus amigos da net
Blogueiros (Pat, Lah, Zi, Elza, Bella, Patty, Carol, Thor)
Kut (Primana, mamy, bonekuxa, kinha)

Se não citei todos perdão, minha memória falha nas horas mais inoportunas.

Amo a todos e obrigado por sempre estarem ao meu lado.

8 de julho de 2007

Sonho com...


Sonho com...
...Alguém que me abrace forte e me diga que vai ficar tudo bem
...Alguém que me procure e saiba ler minha mente
...Alguém que me perdoe e me peça para voltar
...Alguém que me ame e não tenha medo de adimitir

Sonho com...
...Alguém que me faça rir e me ajude a chorar
...Alguém que me trate como uma princesa e tenha atitude
...Alguém que me diga a verdade sempre e sonhe comigo
...Alguém que me entenda e goste do meu verdadeiro eu

Sonho em...
...Achar alguém especial
...Viver um grande romance
...Ter meu final feliz.

-----------------------------------------------------------------------------------------
Estou um pouco cansada de ser a que sonha, estou querendo ser o sonho. Não esqueci completamente o bobo especial, mas sei que não vai acontecer nada apesar de ele ser muito fofo comigo, já aceitei, superei, mas não esqueci, sinto um pouco de ciumes quando vejo ele muito grudado em outra, sinto raiva quando ele não fala comigo, mas já não penso nele o tempo todo e nem conto as horas para ve-lo...isso para mim é superar, digo que não esqueci porque se ele dissesse vem eu ia!
rsrsrsrs
Acho que o que é meu esta guardade, mas precisava guardar tão bem?
Sabe quando você esta vendo sua série favorita (HOUSE md) e ve aquele casal lindo e perfeito (Cuddy e House) se alfinetando e deixando bem claro que se amam e que vai rolar algo até o fim da temporada (ñ falta muito) ai você se contorse na cama porque sonha com algo do tipo desde que se conhece por gente, mas nunca acontece? Estou nessa situação, exatamente nessa, ai vem minhas amigas dizendo que um dia vou ter isso e que algumas já viveram isso e outras dizem que conhecem alguém que já viveu aquilo, mas eu não vivi! Não vou acreditar até que aconteça comigo sabe? Veja bem eu disse acreditar, porque sonhar já faço demais.
Eu realmente estou afim de ver algum sonho meu se realizar!
Sei que a lenda diz que quando se desencana do assunto as coisas acontecem, mas fica ligeiramente dificil quando voce esta cercada de casaizinhos felizes e sorridentes...nada ontra vcs casais, é só inveja momentanea ok?

4 de julho de 2007

Minha princesa favorita

Cinderela - Irmãos Grimm
Há muito tempo, aconteceu que a esposa de um rico comerciante adoeceu gravemente e, sentindo seu fim se aproximar, chamou sua filha única e disse:
-Querida filha, continue piedosa e boa menina, que Deus a protegerá sempre. E lá do céu olharei por você, e estarei sempre ao seu lado - mal acabou de dizer isso, fechou os olhos e morreu. A jovem ia todos os dias visitar o túmulo da mãe, e chorava muito. Veio o inverno, a neve cobriu o túmulo com seu alvo manto.
Chegou a primavera, o sol derreteu a neve, e o viúvo voltou a se casar. A nova esposa trouxe suas duas filhas, ambas louras e bonitas, mas só exteriormente. Tinham a alma feia e cruel. então começaram dias difíceis para a pobre enteada.
- Essa imbecil não vai ficar no quarto conosco! - reclamaram as moças.
- Lugar dela é na conzinha! Se quiser comer pão, que trabalhe!
Tiraram-lhe o vestido bonito que usava, obrigaram-na a vestir outro, velho e desbotado, e a calçar tamancos.
- Vejam só como está toda enfeitada a orgulhosa princesinha de antes! - disseram e rir, levando-a para a cozinha. A partir de então, ela foi obrigada a trabalhar da manhã à noite nos serviços mais pesados. Era obrigada a levantar-se de madrugada para ir buscar água e acender o fogo. Era ela quem cozinhava e lavava. Como se não bastasse, as irmãs caçoavam dela e a humilhavam. Despejavam lentilhas e feijões nas cinzas do fogão, para obrigá-la a catá-los.À noite, exausta de tanto trabalhar, ela não tinha onde dormir e era obrigada a se deitar sobre as cinzas do fogão. E, como andasse sempre suja e cheia de cinza, só a chamavam de Cinderela. Uma vez, o pai resolveu ir a uma feira. Antes de sair, perguntou às enteadas o que desejavam que ele trouxessem.
- Vestidos bonitos - disse uma.
- Pérolas e pedras preciosas - disse a outra.
- E você, Cinderela, o que vai querer? - perguntou o pai.
- No caminho de volta, pai, quebre o primeiro ramo que bater no seu chapéu e traga-o para mim.
Ele partiu para a feira, comprou vestidos bonitos para uma das enteadas, pérolas e pedras preciosas para a outra e, de volta para casa, quando cavalgava por um bosque, um ramo de aveleira bateu no seu chapéu. Ele quebrou o ramo e levou-o. Chegando em casa, deu às enteadas o que elas haviam pedido, e à Cinderela, o ramo de aveleira.Ela agradeceu, levou o ramo para o túmulo da mãe, plantou-o ali, e chorou tanto que suas lágrimas regaram o ramo.
Ele cresceu e se tornou uma aveleira linda. Três vezes, todos os dias, a menina ia chorar e rezar debaixo dela. Sempre que a via chegar, um passarinho branco voava para a árvore e, se ouvia pedir baixinho alguma coisa, jogava-lhe o que ela havia pedido.Um dia, o rei mandou anunciar uma festa que duraria três dias. Todas as jovens bonitas do reino foram convidadas, pois o filho dele iria escolher entre elas aquela que seria sua futura esposa.Quando souberam que também deveriam comparecer, as duas filhas da madrasta ficaram contentíssimas.
- Cinderela! - gritaram.
- Venha pentear nosso cabelo, escovar nossos sapatos e nos ajudar a vestir, pois vamos a uma festa no castelo do rei!
Cinderela obedeceu chorando, porque ela também queria ir ao baile. Perguntou à madrasta se poderia ir, e esta respondeu:
- Você, Cinderela! Suja e cheia de pó, está querendo ir à festa? Como vai dançar se não tem roupa nem sapatos?
Mas Cinderela insistiu tanto, que afinal ela disse:
- Está bem. Eu despejei nas cinzas do fogão um tacho cheio de lentilhas. Se você conseguir catá-las todas em duas horas poderá ir.
A jovem saiu pela porta dos fundos, correu para o quintal e chamou:
- Mansas pombinhas e rolinhas! Passarinhos do céu inteiro! Venha me ajudar a catar as lentilhas! As boas vão para o tacho! As ruins para o seu papo!
E entraram pela janela da cozinha duas pombas brancas; a seguir vieram as rolinhas e, por último, todos os passarinhos do céu chegavam numa revoada, e pousaram sobre as cinzas. As pombas baixavam a cabeça e pic, pic, pic, apanhavam os grãos bons e deixavam cair no tacho. As outras avezinhas faziam o mesmo e pic, pic, pic - não levou nem uma hora, o tacho ficou cheio e as aves todas se foram voando.
Cheia de alegria a menina pegou o tacho e levou para a madrasta, certa de que agora poderia ir à festa. Porém a madrasta disse:
- Não, Cinderela. Você não tem roupa e não sabe dançar. Só serviria de caçoada para os outros.
E como a menina começasse a chorar, ela propôs:
- Se você conseguir catar dois tachos de lentilhas nas cinzas em uma hora, poderá ir conosco. - E para si mesma ela disse: - Isso ela não vai conseguir...
Assim que a madrasta acabou de espalhar os grãos nas cinzas, Cinderela correu para o quintal e chamou:
- Mansas pombinhas e rolinhas! Passarinhos do céu inteiro! Venham me ajudar a catar lentilhas!As boas vão para o tacho! As ruins vão para o seu papo!
E entraram pela janela da cozinha duas pombas brancas; a seguir vieram as rolinhas e, por último, todos os passarinhos do céu chegavam numa revoada, e pousaram sobre as cinzas. As pombas baixavam a cabeça e pic, pic, pic, apanhavam os grãos bons e deixavam cair no tacho. As outras avezinhas faziam o mesmo e pic, pic, pic - não passou nem meia hora, o tacho ficou cheio e as aves todas se foram voando pela janela. Então a menina levou os dois tachos para a madrasta, certa de que, desta vez, ela a deixaria ir à festa.
Porém a madrasta da Cinderela disse:
- Não adianta, Cinderela! Você não vai ao baile! Não tem vestido, não sabe dançar, e só nos faria passar vergonha! - E dando-lhe as costas, partiu com suas orgulhosas filhas.
Quando ficou sozinha, Cinderela foi ao túmulo da mãe, e ficando embaixo da aveleira, disse:
- Balance e se agite, árvore adorada, cubra-me toda de ouro e prata!Então o pássaro branco jogou para ela um vestido de ouro e prata e sapatos de seda bordada de prata. Cinderela vestiu-se a toda a pressa e foi para a festa. Estava tão linda no seu vestido dourado, que nem as irmãs, nem a madrasta a reconheceram. Pensaram que ela fosse uma princesa estrangeira, pois, para elas, Cinderela só podia estar em casa, catando lentilhas nas cinzas.Logo que a viu, o príncipe veio ao seu encontro e, pegando-lhe a mão, levou-a para dançar. só dançou com ela, e não largou de sua mão nem por um instante. Quando alguém a convidava para dançar, ele dizia:
- Ela é minha dama.
Dançaram até altas horas da noite e, afinal, Cinderela quis voltar para casa.
Eu a acompanho - disse o principe.
Na verdade, ele queria saber a que família ela pertencia. Mas Cinderela conseguiu escapar dele, correu para casa e escondeu-se no pombal. O príncipe esperou o pai dela chegar e contou-lhe que a jovem desconhecida tinha saltado para dentro do pombal."Deve ser Cinderela...", pensou o pai. E mandou vir um machado para arrombar a porta do pombal. Mas não havia ninguém lá dentro. E, quando chegaram em casa, encontraram Cinderela com suas roupas sujas, dormindo nas cinzas à luz mortiça de uma lamparina. É que a menina, nem bem havia entrado no pombal, saíra pelo lado de trás e correra para a aveleira.
Ali, rapidamente tirou seu belo vestido e deixou-o sobre o túmulo. Veio o passarinho, apanhou o vestido e levou-o. Ela vestiu novamente seu vestidinho velho e sujo, correu para casa e deitou-se nas cinzas da cozinha.No dia seguinte, o segundo dia da festa, quando os pais e as irmãs partiram para o castelo, Cinderela foi até a aveleira e disse:
- Balance e se agite, árvore adorada, cubra-me toda de ouro e prata!
E o pássaro atirou para ela um vestido ainda mais bonito que o da véspera. Quando ela entrou no salão assim vestida, todos ficaram pasmados com sua beleza. O príncipe, que a esperava, tomou-lhe a mão e só dançou com ela. E quando alguém convidava a jovem para dançar, dizia:
- Ela é minha dama.
Já era noite avançada quando Cinderela quis ir embora. O príncipe seguiu-a para ver em que casa ela entraria. Porém a jovem inesperadamente entrou no quintal atrás da casa e, ágil como um esquilo, subiu pela galharia de uma frondosa pereira carregada de frutos que havia ali. O príncipe não conseguiu descobri-la e, quando viu o pai dela chegar, disse:
- A moça desconhecida escondeu-se nessa pereira.
"Deve ser Cinderela", pensou o pai. Mandou buscar um machado e derrubou a pereira. Mas não encontraram ninguém na galharia. Como na véspera, Cinderela já estava na cozinha dormindo nas cinzas, pois havia escorregado pelo outro lado da pereira, correra para a aveleira, e devolvera o lindo vestido ao pássaro. Depois vestiu o feio vestidinho de sempre, e correu para casa.
No terceiro dia, assim que os pais e as irmãs saíram para a festa, Cinderela foi até o túmulo da mãe e pediu à aveleira:
- Balance e se agite, árvore adorada, cubra-me de ouro e prata!
E o pássaro atirou-lhe o vestido mais suntuoso e brilhante que ela já possuíra, acompanhado de um par de sapatinhos de ouro puro. No castelo, quando a viram chegar, ela estava tão linda, tão linda, que todos enrubesceram de assombro. O príncipe só dançou com ela e, como das outras vezes, dizia a todos que vinham tirá-la para dançar:
- Ela é minha dama.
Já era noite alta, quando Cinderela quis voltar para casa. O príncipe tentou segui-la, mas ela escapuliu tão depressa, que ele não pôde alcançá-la. Desta vez, porém, o príncipe usou de um estratagema: untou com piche um degrau da escada e, quando a moça passou, o sapato do pé esquerdo ficou grudado. Ela deixou-o ficar e continuou correndo.O príncipe pegou-o; era pequenino, gracioso e todo de ouro. No outro dia de manhã, ele procurou o pai e disse:
- Só me casarei com a dona do pé que couber neste sapato.
As irmãs de Cinderela ficaram felizes e esperançosas quando souberam disso, pois tinham pés delicados e e bonitos. Quando o príncipe chegou à casa delas, a mais velha foi para o quarto acompanhada da mãe e experimentou o sapato. Mas, por mais que se esforçasse, não conseguiu meter o dedo grande do pé dentro dele. então a mãe deu-lhe uma faca, dizendo:
- Corte fora o dedo, quando for rainha, vai andar muito pouco a pé.
Assim fez a moça. O pé entrou no sapato e, disfarçando a dor, ela foi ao encontro do príncipe. Ele recebeu-a como sua noiva e levou-a na garupa do seu cavalo. Quando passavam pelo túmulo da mãe de Cinderela, que ficava próximo ao caminho, duas pombas pousaram na aveleira e cantaram:
- Olhe para trás! Olhe para trás! Há sangue no sapato,que é pequeno demais! Não é a noiva certa que vai sentada atrás!
O prícipe virou-se, olhou o pé da moça e, vendo sangue escorrendo do sapato, fez o cavalo voltar e levou-a para a casa dela. Chegando lá, ordenou à outra filha da madrasta que calçasse o sapato. Ela foi para o quarto e calçou-o. Os dedos do pé entraram facilmente, mas o calcanhar era grande demais e ficou de fora. Então a mãe deu-lhe uma faca dizendo:
- Corte fora o pedaço do calcanhar. Quando você for rainha, vai andar muito pouco a pé.
Assim fez a moça. O pé entrou no sapato e, disfarçando a dor, ela foi ao encontro do príncipe. Ele aceitou-a como sua noiva e levou-a na garupa do seu cavalo. Quando passavam pela aveleira, duas pombinhas pousaram num de seus ramos e cataram:
- Olhe para trás! Olhe para trás! Há sangue no sapato,que é pequeno demais! Não é a noiva certaque vai sentada atrás!
O prícipe olhou o pé da moça e, vendo sangue saindo e a meia branca, vermelha de sangue. Então virou seu cavalo, levou a falsa noiva de volta para casa e disse ao pai:
- Esta também não é a verdadeira noiva. Vocês não têm outra filha?
- Não - respondeu o pai - a não ser a pequena Cinderela, filha de minha falecida esposa. Mas é impossível que seja ela a noiva que procura.
O príncipe ordenou que fossem buscá-la.
- Oh, não! Ela está sempre muito suja! Seria uma afronta trazê-la a vossa presença! - protestou a madrasta.
Porém o príncipe exigiu que fossem chamá-la. E, depois de ter lavado o rosto e as mãos, ela veio, curvou-se diante do príncipe e pegou o sapato de ouro que ele lhe estendeu. Então, sentou-se num banquinho, tirou do pé o pesado tamanco e calçou o sapato. Ele lhe serviu como uma luva. E quando se levantou, o príncipe viu o seu rosto e reconheceu logo a linda jovem com quem havia dançado.
- É esta a noiva verdadeira! - exclamou feliz.
A madrasta e as filhas levaram um susto e ficaram brancas de raiva. O príncipe ergueu Cinderela, colocou-a na garupa do seu cavalo e partiram. Quando passaram pela aveleira, as duas pombinhas brancas cantaram:
- Olhe para trás! Olhe para trás!Não há sangue no sapato,que serviu bem demais! Essa é a noiva certa. Pode ir em paz!
E, quando acabaram de cantar, elas voaram e vieram pousar, uma no ombro direito de Cinderela, outra no ombro esquerdo, e ali ficaram.
Quando o casamento de Cinderela com o príncipe se realizou, as falsas irmãs vieram à festa. A mais velha ficou à direita do altar, e a mais nova, à esquerda. Subitamente, sem que ninguém pudesse impedir, a pomba pousada no ombro direito da noiva voou para cima da irmã mais velha e furou-lhe os olhos. A pomba do ombro esquerdo fez o mesmo com a mais nova, e ambas ficaram cegas para o resto de suas vidas.
FIM

Cinderela - Charles Perrault
Era uma vez um senhor viúvo que tinha uma filha a quem amava muito. Ele decidiu casar-se novamente com uma viúva que tinha duas filhas.
O pobre homem morreu, deixando sua filha desolada. No entanto, a madrasta e suas filhas ficaram felizes com a herança. As três mulheres invejavam a beleza e a bondade da moça. Então a converteram em sua criada, e a chamavam Cinderela. Cinderela lavava, limpava, passava e cozinhava. Porém, mais que tudo chorava, porque ninguém mais gostava dela.
Um dia, o arauto do rei convidou todas as jovens do reino para um baile no palácio, pois o príncipe herdeiro queria escolher uma esposa. As filhas da madrasta acreditavam que uma delas seria a escolhida, e passaram a tarde provando vestidos. A pobre Cinderela também queria ir ao baile, mas as suas irmãs a proibiram. Foram ao baile zombando de Cinderela que ficou em casa, muito triste.
De repente surgiu vinda do céu, uma luz muito forte, que se transformou numa fada.
- Cinderela, sou sua fada madrinha, não chores, não quero que vivas triste, se anime pois, esta noite irás ao baile.
E com sua varinha de condão transformou as pobres roupas da jovem num lindo vestido, e os sapatos viraram sapatinhos de cristal. A fada ainda transformou uma abóbora numa carruagem, dois ratinhos em cavalos, e o cachorro de Cinderela no seu cocheiro. A jovem ficou encantada com a mágica da fada.
- Vá depressa minha menina! - disse a fada.- Mas não esqueças que o encanto se romperá à meia noite e tudo voltará a ser como era.
Cinderela entrou no palácio e todos ficaram encantados com sua beleza. Estava tão bonita que a madrasta e as suas irmãs não a reconheceram. As mulheres ficaram encantadas com o seu vestido, era o mais belo da festa. O príncipe que até então não havia encontrado nenhuma moça que o tivesse agradado, ficou encantado ao vê-la. Quis dançar somente com Cinderela.
Os dois dançaram a noite toda, deixando as moças da festa com muita inveja de daquela desconhecida. Cinderela estava tão feliz que não percebeu o tempo passar. Quando olhou para o grande relógio no salão, viu que faltavam poucos minutos para a meia noite. Antes que terminasse o encanto, Cinderela foi embora correndo, desceu as escadas com tanta pressa que perdeu um sapatinho de cristal.
O príncipe, que estava apaixonado por Cinderela, saiu correndo atrás da jovem mas não conseguiu alcança-la. Encontrou o seu sapatinho de cristal na escada e o guardou. No dia seguinte, o príncipe que não sabia nem ao menos o nome de sua amada, mandou que seu pajem a procurasse pelo reino, a moça cujo pé coubesse naquele sapatinho.O pajem procurou por todo o reino, mas nenhuma moça tinha um pé tão pequeno que coubesse naquele sapatinho. Quando chegou na casa de Cinderela, provou o sapatinho nas suas irmãs, mas os pés delas eram grandes demais. Como o sapato era pequeno, por mais que as irmãs tentassem, não servia. Ele estava indo embora quando viu Cinderela varrendo um cômodo da casa. Após muito insistir ele conseguiu fazê-la provar o sapatinho.
Quando a madrasta e as irmãs viram Cinderela calçar o sapatinho ficaram surpresas. Ele serviu perfeitamente em seu pequeno pézinho. Ele a levou para o castelo ao encontro do príncipe. No dia seguinte, Cinderela casou-se com o príncipe e houve festa em todo o reino. Agora, Cinderela era amada e os dois foram muito felizes.
-------------------------------------------------------------------------------------------
Gosto muito dessa história, ambas versões, acho que ainda sonho que um dia meu principe irá me encontrar, acho que esse conto nos mostra como sonhar é importante e acima de tudo nos mostra que tudo pode mudar radicalmente.
Nunca subestime a sorte (destino ou seja o que for)

3 de julho de 2007

Indicações

\o/
Fui indicada por duas amigas blogueiras para o premio sete maravilhas do mundo!
Sim, sim.
Estou muito feliz e contente!!
Agradeço ao blog Tudo pode acontecer e ao Complicada e perfeitinha.

Como o prazo para indicações terminou não vou indicar ninguém, mas todos os blogs que eu visito são sempre muito especiais

Outro premio que eu ganhei foi o premio blog com tomates:

Fico muito feliz e agradeço a Menina lunar que me indicou.

Aqui vão meus indicados:

Pa[†φ] BEiJo - http://patypimi.blogspot.com/

Coluna do Thor - http://thorcroix.blogspot.com/

Tudo pode acontecer - http://helenanaia.blogspot.com/

O beijo do escorpião - http://scorpionlounge.blogspot.com/

Café preto - http://www.cafe-preto.blogger.com.br/

Acessem o Blog com tomates e vejam como proceder

http://www.blogcomtomates.blogspot.com/


1 de julho de 2007

Um pouco...

...Cansada.
Minha garganta dolorida, minha cabeça latejando, meu corpo mole...odeio ficar doente.
É meu primeiro dia de férias e já começou mal, não só por eu ter ido muito mal na prova final e ficar de recuperação de 4 matérias (só por meio ponto), mas por eu ficar doente. Pelo menos a doença passa a R.O. (recuperação obrigatória) vai me impedir de fazer coisas legais como sair de casa por um mes e mais alguns dias. Começo a estudar para as provas no começo do mes assim q eu melhorar da gripe, me sinto mal por não poder ir ao animefriends nem poder ver a celle...eram duas coisas que eu realmente queria fazer...me reconforta a idéia de que pelo menos poderei buscar redenção e conforto aquino blog, na minha cama e nas minhas estórias!
Já comentei aqui que adoro escrever? Tá acho que isso é um pouco óbvio considerando que eu venho aqui pelo menos duas vezes por semana, mas digo escrever do sentido de contos. Porque eu realmente gosto de escrever contos, já escrevi tres bem fraquinhos e estou tentando escrever o quarto. O problema é que já faz um ano que eu começo a escrever um conto e paro no meio e deleto o arquivo, acho que é isso que todos chamam de bloqueio criativo né? Não sei o que é, mas não gosto tenho milhares de idéias que simplesmente não consigo colocar no papel! Realmente espero que dessa vez de certo. Estava achando que era porque eu complicava demais as estórias, colocava muitos personagens e muitas coisas, isso é legal em novelas mas não em contos de vinte páginas ou menos...meu máximo até hoje foi 18.

Sabe quando você esta nervosa e acaba falando o que não deve? Bom ontem eu estava chorando depois da prova, quando fiquei sabendo minha nota e tudo mais, tinha um monte de amigo meu me consolando o que foi mto fofo deles, ainda mais da love que odeio consola os outros, enfim acabei falando algo que não machucou ninguém porque não era sobre ninguém que estava lá era sobre a tal da elaine acho que vocês não vão lembrar mas vou comentar de qualquer modo...acabei dizendo algo que me fez reparar que eu estou com muita raiva dela, não sabia disso por isso me surpreendi, não sei como me sinto em relação a ela e gostaria muito de poder reve-la para poder dizer tudo o que eu sinto de ruime me livrar dessa coisa ruim!

Já passa da uma da manhã e eu estou com muuuiiitttoo sono então vou durmir!