3 de outubro de 2008

[sem título]


Insegura. Talvez essa seja a palavra para me descrever. Medrosa também serve. Porque eu tenho medo de tudo, tenho medo da vida. E se eu não fizer a escolha certa? Colocar o nome da profissão errada naquela folha branca e cheia de quadradinhos? E se eu passar e não gostar? E se me formar e não der certo? Não arrumar emprego? E se eu não for boa o suficiente para me destacar? Tem milhares de outras pessoas com o mesmo sonho que eu, mais garra que eu, mais tempo de estrada e talvez elas sejam melhores, mais criativas, menos assustadas, mais confiantes. Melhores. Talvez elas tenham vivido mais que eu, elas te prendam mais, elas te convencem mais. O que eu posso te convencer? Eu sou só uma menina que nunca viveu nada, que tem o rei na barriga e que escreve narrações românticas. I.d.e.a.l.i.z.a.d.a.s. O que eu escrevo de real são lamentações chatas que ninguém quer saber; dúvidas da idade que todo mundo já teve; nada concreto, nada interessante. Céus! Eu nem sei acentuar minhas palavras e pontuar meus textos como posso querer passar naquela prova de final de ano e publicar livros?

Como eu posso duvidar de maneira tão ridícula de mim mesma?

Se eu escrever o curso errado naqueles quadradinhos tudo bem, são só letras. Se eu não passar tudo bem, prova tem todo ano, várias importantes e um dia eu passo. Se eu passar e não gostar não tem importância eu tento novamente, me informo melhor e faço o que eu gosto. Se eu não arrumar emprego? Eu vou arrumar emprego, eu sou inteligente e posso muito bem cair de cabeça no mundo real para viver que nem adulta, eu vou ter preparo, eu vou ter maturidade. Porque pensar neste futuro se eu não posso fazer nada antes de o presente virar passado? Deixe-me arrumar o que esta ao meu alcance com o futuro eu me preocupo quando chegar a hora.

Eu sou boa, se tem outros com mais estrada, mais coragem, mais vivencia, mais enredo tudo bem. Não importa porque no fim quem tem mais futuro sou eu! Posso ser pouca coisa, mas o que eu já sou vai me levar muito mais adiante. A prática leva a perfeição, o estudo leva ao conhecimento. Eu vou conhecer, vou aprender, vou praticar e vou vencer.