17 de julho de 2009

Saudade da paixão

Nunca neguei que sou uma apaixonada por me apaixonar e voilá: Já faz dois ano que não me apaixono platonicamente e sinto saudades disso.

Saudade...
...Daquele lirismo derrotista de não ser correspondida
...Daquela sensação de falta de ar quando ele fala alguma coisa ambígua
...Daquele coração disparado quando por acaso vamos juntos ao cinema
...Daquela fuga que ele representa.

Saudade de ter um ele, porque não?
Estou cansada de olhar bonitinhos e bonzinhos por aí. Quero uma paixonite...
Não! Quero uma paixão! Quero um amor! Quero desejar alguém, quero ser correspondida (na paixão, no amor, no desejo...)!
Quero algo real! Alguém real, que saiba que eu sou real e que sejamos os dois reais como nenhuma de minhas paixonites foi.

Eu quero crescer e ter uma relação madura com alguém adulto, mas com um olhar de menino e que na nossa relação tenha muita molecagem. Não! Não molecagem do tipo sacanagem, se vier que venha, mas molecagem, apenas molecagem.

Eu quero conhecer alguém assim, perfeito pra mim, neste momento e que dure o tempo que durar porque vai ser eterno de qualquer jeito.