4 de fevereiro de 2011

“Cadê a sua força?”

1208634“Cadê aquela menina que eu e o papai dizíamos que íamos fazer uma caixinha de cruz vermelha para seus namorados?”

Quando eu vi que não passei na Unesp, depois de dois anos de cursinho, eu chorei, falei que ia fazer FMU, que não aguentava mais ver a mesma matéria e me empenhar em uma coisa que no fim só ia me deixar frustrada. Então meu irmão entrou no meu quarto e com a maior calma do mundo ficou três horas conversando comigo, ele disse que é uma decisão que só cabe a mim, mas ele argumentava a favor de mais um ano de cursinho. Ele conseguiu, eu resolvi fazer mais um ano e tentar as melhores faculdades ano que vem, particulares ou não, mas as melhores. Mas o maior argumento dele foi esse: me perguntar onde estava inha força, onde estava aquela menina que dava a cara a tapa sem medo de apanhar, que não se importava com o que os outros pensavam.

  A verdade é que essa menina sucumbiu ao medo, medo de tudo, medo já muito falado e notado, medo que não serve para nada! Eu sucumbi a esse medo e mais de uma vez falei que não iria mais deixá-lo me dominar, mas no fim ele sempre ganhava! Então eu venho aqui, mais uma vez, dizer ao medo que vá para o inferno! Que aquela menina que mandava nas brincadeiras ainda está aqui dentro de mim e que ela vai para o terceiro ano de cursinho sim! Vai lutar pelo sonho dela sim! Vai conseguir o que quer e não vai ter medo de interagir e levar gelo porque quem está perdendo são os outros! Chega de ter vergonha, chega de ter medo, eu não tenho nada a perder e eu estou a fim de começar a ganhar!