27 de janeiro de 2012

Apenas palavras

fada%202

  Eu sempre achei que eu tinha um dom com as palavras, alguma coisa que me fazia especial por sempre saber articulá-las e criar coisas bonitas, ou simplesmente que expressassem um sentimento ou situação difícil de se expressar. O que eu nunca reparei é que tem gente que não tem dom nenhum com as palavras, mas que consegue colocar numa frase munição suficiente para matar qualquer um. E o pior é que não existe punição para quem usa as palavras assim, como armas.

  Não sei se foi só agora ou se já vinha se acumulando há algum tempo, mas últimamente reparei que ando muito mais sensível as palavras que ouço. Coisas bobas como um amigo dizendo que nunca vou morrer sozinha, ou meu irmão dizendo que eu estou gorda, tem me machucado tanto! Será que fui eu que dei abertura para que eles me dissessem essas coisas? Talvez tenha sido meu modo de agir, minha resiliência ou quem sabe algumas coisas que falei… Será que eu também feri alguém tanto usando palavras? Eu não me lembro, mas não me acho capaz disso. Sei que quando estou irritada sou grossa, mas acho que não a esse ponto. E o pior é que quando eu ouço algo que me machuca tanto eu simplesmente me mantenho calada, sem resposta, engolindo meu orgulho e sofrendo a dor que me foi causada. Eu odeio chorar no meio de uma discução porque estou brava (eu só choro de raiva e frustração), mas odeio muito mais não ter resposta.

  Houve uma série que eu vi em que uma das personagens era uma grande fã de debates e um dia ela parou de brigar, de debater com o marido dela, coisa que ela sempre fazia. A irmã dessa personagem, então, virou para o marido dela e disse que era melhor ele tomar cuidado, porque se tinha uma coisa que ela sabia sobre a irmã é que ela só debatia com quem ela achasse que valia a pena, que ela retirava sua força das batalhas que travava e se ela não estava mais travando batalhas era porque ela não se importava mais. Quando eu vi isso achei poético, achei que era uma variação do “silêncio da decepção” e até desejei que eu fosse assim. Hoje percebi que talvez eu seja assim, ou tenha me tornado assim, porque sempre fui do tipo que dá a última palavra, por mais inútil que seja e agora, quando ouço uma dessas palavras que me magoam tanto eu simplesmente me calo. E o engraçado é que por mais que me doa ficar calada, mesmo quando eu tenho uma respostas boa e ferina na ponta da lingua eu me calo, porque sei que minha resposta pode magoar. Maybe I am the bigger person, aquela que não precisa machucar os outros para se sentir grande, maybe… Pelo menos é isso que eu prefiro pensar.

Nenhum comentário: