22 de junho de 2014

Passo a passo

salto

  Bate uma insegurança de repente, você apaga tudo o que escreveu e desiste de falar o que queria, o medo te faz achar que não vale a pena, não vai dar em nada. Mas então vem uma súbita onda de coragem que te dá o empurrão que você precisava e você fala o que queria e envia a mensagem que pretendia e diz “foda-se” para as consequencias. Depois você se questiona se fez certo, acha que não vai receber resposta, ou que a resposta recebida não é boa o suficiente. Pede conselhos para todos que conhece, “o que eu faço?”, “o que você acha?”, mas uma hora passa. Uma hora você supera essa fase e percebe que pode não ser tão ruim.

Uma hora você deixa de se lembrar apenas dos tropeços e pedras no meio do caminho, se lembra das flores e das coisas boas que aconteceram, então começa a sair de fininho de trás da porta, a sair bem discretamente. Você ainda não se jogou, mas deu o primeiro passo em direção ao pulo, isso já é ótimo. Pode ser que não dê certo, que você se machuque e que as coisas não saiam exatamente como você gostaria, as possibilidades são muitas e você não sabe o que vai acontecer, mas pelo menos você saiu um pouco de trás da porta. Você começou a se permitir ter aquilo que você quer, você se abriu um pouco e se mostrou ao mundo e viu que não era tão ruim, você pode fazer isso outras vezes.

O importante é reconhecer o quanto você fez até aqui. Você sabe, de maneira racional, que você é boa o suficiente para quem for, agora só precisa se permitir sentir isso emocionalmente. O machucado não é tão insuportável, aliás ele não é nada se comparado a alcançar o seu objetivo. Você pode fazer isso, você vai conseguir, está caminhando e logo logo vai ser capaz de se jogar sem olhar para trás.

7 de junho de 2014

Mais um sonho com você

E mais uma vez eu te encontro nos meus sonhos, mais uma vez foi uma aparição aleatória, quase romântica, que eu não sei direito de o de vem. Eu não sei se eu sonho com você porque você sempre vai ter um espaço reservado para você no meu coração, se é porque é através dos sonhos que o destino me lembra o que é certo para mim, se é porque eu simplesmente não consigo te esquecer, mesmo achando que já esqueci, ou se é o acaso, simples assim.
Dessa vez estávamos em um estacionamento, você vestia um jeans e uma jaqueta e estava atrás do carro, indo em direção a porta do motorista, eu estava indo embora quando resolvi virar e falar tão sinceramente quanto nunca faria na realidade
- Então é isso né?
- O que? - ele perguntou parando, eu me virei para ele e também parei
- Nós dois. Não leva a mal, você é bonito e educado, mas nós nunca daríamos certo juntos - eu disse dando os ombros. Ele sorriu.
- Quem sabe? - ele disse em resposta, uma resposta que nos meus ouvidos soou como se fosse um "um dia a gente descobre juntos".
E eu me acho boba por acreditar que esse sonho é um sinal do destino me dizendo que ele é minha alma gêmea ou algo do tipo, mas eu sonhei com ele na noite que descobri que minha prima está namorando o amor de infância dela. Mas eu não lembrei dele até acordar hoje, depois de sonhar com ele. Eu não sei, às vezes acho que ele se tornou um babaca e que provavelmente é menor que eu. Outras vezes lembro que ele era incrível.
Talvez meu problema seja falta de um amor real para se viver

4 de junho de 2014

Sua total indiferença

10320474_662898880449869_7107545634638566342_n   Acho que se você me odiasse seria menos dolorido. Se você não fosse bonzinho. Se você não tivesse esse olhar infantil e esse sorriso doce. Por que eu sempre me derreto pelos que tem olhar infantil? Pelos que me provocam, me irritam, me fazem dar risadas e tem um coração enorme? E eu notei isso agora, agora que acho que eu sou indiferente para você, que eu acho que você não dá a mínima para mim, no sentido que eu gostaria que desse. Só agora que estou desiludida e cabisbaixa me dou conta de como você preenche todos aqueles itens da lista que, sem querer, todos os caras que eu gosto tem em comum.

  Por outro lado acho que você deve ser um babaca, fico me perguntando porque seu último relacionamento não deu certo, qual seu defeito, e achando vários pequenos problemas com você. Problemas estes que obviamente somem quando você faz graça, me olha e sorri. Sorri sem saber que eu me derreto, sem ter a menor noção de como você afeta as pessoas. Seria melhor se você fizesse de propósito, para me machucar, para se achar… É tão mais fácil não gostar dos outros. Achar que eu sou simplesmente indiferente à você dói mais, achar que você só me vê como uma amiga e não como eu te vejo, como eu achava que você me via. Talvez você nunca tenha se quer pensado em mim dessa forma e isso é uma droga. Eu preferiria seu ódio a sua indiferença.

  Mas claro que insatisfeita como eu sou só penso tudo isso porque perdi o que achei que tinha, se você gostasse de mim eu provavelmente iria achar você morno ou qualquer coisa do tipo, só para não sair da minha zona de conforto.