10 de outubro de 2014

Winter is coming

Verdade seja dita: não sei se será o inverno metafórico, mas o real está chegando, pelo menos no Canadá e é para lá que eu vou em algumas semanas.
Em geral não sou o tipo de pessoa que sente quando a mudança está chegando, ela sempre me pegou desprevenida e me forçou a me adaptar as novas condições, resiliência.  Agora não,  agora eu estou sentindo ela chegar há algum tempo e isso me apavora um pouco, nunca lidei bem com mudanças. Ontem essa sensação de que a mudança estava chegando me encheu o peito na saída do trabalho, eu olhei a paisagem, os prédios do centro da cidade à meia luz do por do sol, aquele povo de todas as etinias passando por mim e a brisa batendo no meu rosto de leve, não sei o que nessa paisagem me fez sentir, mas eu senti: a mudança está chegando.
Logo eu vou para o Canadá passar as férias, depois eu volto e vou estar no quarto ano da faculdade, sair do francês e fazer outro curso, voltar à natação, quem sabe? Vou mudar de emprego, buscar um escritório e conviver com outras pessoas. Isso assusta, mas eu vou fazer isso, preciso dessa mudança e eu sei que ela vem para me fazer crescer, mas assusta.
E pela manhã eu já senti esse ar de mudança, passando pela Paulista, a caminho da faculdade, a meia luz do nascer do sol me lembrou do fim do ano de 2012, quando eu ainda trabalhava no TRF e no fim da tarde sempre caminhava pela Paulista, e lembrando disso eu percebi o quanto mudou desde então. Eu fui para Cusco, para Salvador e Aracaju, conheci Brasília, Joinville e Paraty. Mudei de emprego e comecei a conhecer minha área mais na prática. Percebi que causo muito mais efeito nas pessoas do que eu ummdia sonhei. Perdi um pouco a timidez, voltei a fazer terapia, ganhei amigos, minha casa começou a ser reformada e logo vai terminar, talvez quando eu estiver no Canadá. Então talvez a mudança esteja acontecendo, e eu nem percebi, desde de 2012. Mas mais importante do que essas mudanças de rotina eu percebi naquela manhã o quanto eu mudei.
Hoje eu me sinto mais capaz, mais dona da minha vida, me sinto um pouco menos ingênua e um pouco mais mulher. Talvez minha esperança no mundo esteja um pouco abalada, a minha esperança e achismo em ser diferente dos outros é certamente menor. Eu estou menos hipócrita, menos preconceituosa, judgemental, um pouco mais livre, coerente e feminista. Minha idéia sobre relacionamentos amadureceu também, já não tenho aquela idéia romântica das coisas, mas um pouco mais real, cotidiana. Ontem eu ainda me via muito como uma menininha, uma adolescente tentando se achar e descobrir a si mesma, hoje já me sinto mais mulher, tenho mais certeza de mim mesma e coragem para enfrentar a vida, coragem que antes nunca tive, porque antes eu tinha coragem de fazer dar certo, hoje tenho coragem de quebrar a cara, me arriscar mesmo sabendo que tudo vai dar errado.
Ontem pela manhã eu percebi que as coisas mudaram na minha vida, que eu mudei. Ontem de tarde me dei conta de que mais mudança vem aí. Hoje eu descobri que eu estou absolutamente pronta para abraçar essa mudança.

Nenhum comentário: