6 de fevereiro de 2016

Se empoderando

Eu sempre me sinto terrivelmente ofendida quando me dizem alguma coisa do tipo "é por isso que você não tem namorado". É estupido que uma ofensa tão machista me afete tanto, que eu deixe me afetar tanto, mas cada vez que me falam isso é um soco no estômago, principalmente se vier de um homem. 

Talvez eu não esteja empoderada o suficiente, simples assim. Porque eu sei que o simples fato de dizerem algo assim para mim é de um machismo extremo, como se eu estivesse sozinha porque os homens não me querem e não porque eu simplesmente quero, ou ainda mais, porque eu não quero a maior parte dos homens.

A verdade é que eu sempre me senti extremamente oprimida pela sociedade, eu não ía no carnaval a noite porque me sentia mal com os olhares que recebia, eu não gostava do jeito que me tratavam e me tratam, de forma geral, porque grande parte das vezes parece que os outros acreditam que o que eu tenho a dizer não é importante o suficiente. E por último ainda tem a obrigação que a sociedade me impõe de que eu tenho que ter um namorado, tenho que ir para as festas para ficar com alguém, não posso estar solteira sem querer ficar com alguém em uma festa, não posso estar solteira porque quero, porque preciso, porque tenho alguns problemas para resolver comigo mesma antes de me ligar a outra pessoa, ou até mesmo porque grande parte dos homens que conheço simplesmente não me agrada dessa forma. Infelizmente eu vivo em um núcleo da sociedade que é bem machista e eu até poderia corresponder às expectativas dele e namorar alguém, mas seria certo comigo mesma? Namorar alguém que não me interessa, talvez até me anulando, como vejo acontecer com várias mulheres desse núcleo. Eu não vejo vantagem nenhuma em namorar só para corresponder às expectativas dessa sociedade, principalmente se for para me anular no caminho. 

Eu quero sim namorar, e talvez por isso me doa quando jogam na minha cara porque estou solteira. Mas quero namorar porque quero estar com alguém ao meu lado que eu ame, não porque os outros querem que eu o faça.

Nenhum comentário: