29 de abril de 2017

Mais uma da série "Ansiedades da Vida"

Cada noite que eu deito minha cabeça no travesseiro meu peito se enche de angústia, eu consigo esconder esse medo o dia todo, mas de noite ele me invade. É o medo de nunca conseguir melhorar, não conseguir viver meus sonhos, ou meus planos mais simples... Medo de não achar um bom emprego como advogada, algo que pague razoavelmente e cujo local de trabalho seja saudável; medo de não conseguir juntar dinheiro para tentar a vida no Canadá; medo de nunca viver nenhuma aventura emocionante como passar um tempo perdida na índia ou na América central... Medo da minha vida não dar certo e do ponto dela ter sido a faculdade.


Eu sei que não faz sentido esses meus medos; que provavelmente vai ficar tudo mais ou menos bem; que eu tenho uma rede de apoio e estou melhor do que muita gente por aí... Mas quando eu deito para dormir eu ainda quero chorar de desespero em posição fetal enquanto chamo pela minha mãe. 


É, talvez pensar no assunto me leve de volta aquele sentimento que me preenchia no final de 2015, sentada no chão da livraria depois da faculdade e antes do trabalho. É bizarro que já faz um ano e meio, né? Parece que foi ontem. E ao mesmo tempo que desde então aconteceram coisas boas como passar na OAB, me formar, ganhar o Prêmio TCC e entrar na Pós eu ainda sinto que, pelo menos de certa forma, desde que saí da 7 minha vida não deu mais certo. Deve ser até pecado sentir isso, porque o universo me deu coisas boas e mesmo sendo muito agradecida por elas ainda sinto que falta algo, ainda sinto que as coisas não estão boas.


Então é, eu tento ser otimista, tento não pensar nisso durante o dia, tento focar no aqui e agora, mas de antes de dormir minhas defesas caem e o medo me domina por um tempo. Vai passar. Vai melhorar. Vai ficar tudo bem. Sempre fica. Ontem ficou, hoje vai ficar também.

Nenhum comentário: