1 de julho de 2017

E quando tudo parece dar certo?

Insatisfação faz parte da natureza humana. Dito isso preciso completar dizendo que estou insatisfeita. Eu sei, eu reclamo de tudo, estou ciente desse defeito já apontado por amigos rindo da minha cara, mas aqui posso falar com sinceridade o que sinto, então vamos lá.

Sinto que meus planos estou finalmente entrando em ação, que eu estou trabalhando, podendo juntar dinheiro para ir para o Canadá, ou Alemanha, ou qualquer outro lugar; que eu vou poder fazer aquelas aulas de inglês que eu queria; que eu tenho um emprego ótimo, saio no horário, tenho chefes bacanas, colegas legais e um ritmo de trabalho saudável; sinto que agora posso começar a pensar em fazer aquela aula de luta que eu queria; que estou aos poucos caminhando em direção aos meus sonhos. Esses sentimentos são tão fortes quanto era a minha insatisfação de estar parada e sem perspectiva de emprego há um mês e meio atrás. E eu estou feliz, não pensem que não estou, porque eu estou.

Mas sinto também que não me sinto completa realizando o trabalho que estou realizando. Quando eu estou fazendo sinto como se estivesse cumprindo uma obrigação, não acho legal, acho que estou fazendo o que preciso fazer e daqui a pouco termino e/ou dá meu horário e eu vou para casa. Eu acho o Direito legal, ler e pesquisar sobre ele, mas vivenciar o dia a dia como advogada não tem me agradado muito. É burocrático, ainda mais que estou trabalhando com estratégia e consultivo. Não é justo. Não sinto que estou sendo de grande ajuda para a sociedade, ou mesmo para meus clientes. Sinto um pouco de falta de por a mão na massa e resolver os problemas mais fisicamente. Talvez fosse isso que eu gostasse em ser estagiária, ver a minha ajuda fisicamente. Eu via como ajudava meu chefe indo aos lugares, arrumando a bagunça, realizando minhas tarefas. Agora, ainda que eu saiba que estou ajudando, até por ser essa minha função, não sinto que estou ajudando tanto... é esquisito e difícil de explicar. Talvez eu realmente deva fazer o coaching, é uma das coisas que estou pensando sério.

Sinto também falta de escrever. De simplesmente sentar na frente do computador com uma história e botar ela para fora. Tem uma história nascendo na minha mente, tenho medo de a deixar tempo demais ali e ela apodrecer como as outras. Eu só preciso do impulso, alguém me dá um pezinho?

Nenhum comentário: