9 de julho de 2017

O medo da palavra

É engraçado, quando você tem uma doença séria e conta para os outros, seus amigos, família, pessoas próximas, você imediatamente precisa emendar com um "Mas é só operar" ou "O tratamento é simples", para pessoa mudar a expressão de pena e/ou preocupação dela. O nódulo que eu tenho na tireóide é câncer, um tipo comum e de tratamento simples, mas essa palavra, "câncer", quando pronunciada faz as pessoas se assustarem, pensarem no pior e aí eu emendo falando que vou fazer a cirurgia para tirar e vai ficar tudo bem.

Na minha família só minha mãe e meu irmão sabem, não contei para mais ninguém porque não queria assustar eles. Mas como já vinha contando para as meninas sobre o assunto, precisei contar para elas o resultado do exame, fui estratégica, contei o nome científico da coisa, carcinoma papilífero. Elas ficaram achando que era algo simples e sem seriedade, como eu queria, não quero elas preocupadas. Mas ao mesmo tempo... Eu estou preocupada.

Eu falo com tranquilidade do assunto e o médico disse que ninguém morre desse câncer, mas é aquela coisa, né? A palavra... já estou fazendo os exames pré operatórios e vou tirar a tireóide, vou precisar fazer radioiodoterapia (tomar um comprimido de iodo no hospital), depois vou precisar tomar hormônio pelo resto da vida. Não é esse lado prático das coisas que me assusta, esse lado eu entendo e não tenho medo. Me assusta saber que meu corpo me traiu, não que eu o trate bem, mas ele cresceu um negócio ruim para mim, será que eu não deveria tomar isso como um sinal para mudar alguns hábitos? Até porque, se eu vou tirar a tireóide, a tendência é que minha pré disposição para engordar piore, logo agora que eu estava tão feliz com meu corpo, vou precisar me alimentar melhor, fazer exercício, tomar cuidado com meu corpo para sempre, algo que eu nunca realmente fiz direito.

Minha psicóloga falou para eu pensar sobre esse nódulo, sentir um pouco. Eu não queria fazer isso porque tenho tendência de surtar com besteiras, mas como ela pediu... Eu estou com medo de fazer a laringoscopia e descobrir que o câncer invadiu minhas cordas vocais, ou de na cirurgia ter minhas cordas vocais danificadas, mesmo sabendo que a chance é muito pequena para ambos os casos, estou com medo de depois engordar e nunca mais me sentir feliz com meu corpo, estou com medo de ficar dois ou três dias no hospital para tomar o iodo e não ter absolutamente nada para fazer, estou com medo de que de alguma forma eu tenha causado isso em mim mesma, mesmo sabendo que cientificamente no há razão para esse câncer e lá no fundo, sem razão nenhuma de existir, escondido e quase sufocado, tem um medinho de que os exames estejam errados e tudo seja mais sério do que parece e possa morrer.

Nenhum comentário: