4 de agosto de 2017

Covarde

"Não seja covarde, ainda mais na sua idade, é muito feito" - meu chefe.

Ele me disse isso porque eu disse que não sabia se conseguiria escrever sobre determinado tema, a resposta dele foi essa. E eu nem fiquei chateada, brava ou nada. Eu simplesmente dei uma risadinha enquanto pensava silenciosamente sobre como essa frase se aplica a outros pontos da minha vida. Chega a ser ridícula a velocidade com a qual pensei que essa "reprimenda" se aplicava também a minha escrita de forma geral e não apenas àquele artigo que ele me pediu.

Eu vivo com medo de não escrever uma boa história totalmente minha e por isso nem começo. Covardia. Nem se quer tentar é pura covardia. E eu sei que tem muita gente aí pior que eu, e na verdade nem sei porque exijo tanto dos meus escritos. Meus escritos deveriam ser colocados no papel por mim, para me agradar, e não para agradar os outros. Mas mesmo assim não escrevo por medo da opinião dos outros e acabo fazendo autocríticas severas demais. No fundo não passa de covardia.

Medo do que os outros vão achar, de não dar certo aquela história, de desistir, de terminar e não dar em nada, de perder tempo, de me jogar de cabeça em uma história que não vai me levar ou ser levada a lugar algum. De não ser tão boa quanto eu penso.

E as páginas vão ficando em branco enquanto choro minhas pitangas por aqui. Covarde.

Nenhum comentário: