7 de dezembro de 2017

O que é dar um passo atrás?

Na névoa do meu pós operatório, entre a anestesia e a consciência, meu irmão me deu conselhos de carreira. Obviamente não me recordo de nada com clareza, apenas de eu lhe dizer que estava pensando em trabalhar em navio e que dependendo do cargo era um salário bom, puxado, mas ganharia mais do que como advogada em terra firme. A resposta dele me vem em flashes, flashes dele me perguntando se eu estava doida, que não era bem assim, que se eu não quero ficar onde estou preciso trabalhar em caminhar para frente e não em dar passos atrás. Disse que não era um passo atrás, era um meio para um fim, juntar dinheiro para ir para o exterior estudar algo que me interesse mais e ele repetiu que não era bem assim, que morar fora é difícil, que eu nem sei se vai dar certo. Lembro de eu responder que se não desse certo tudo bem, que eu tinha que tentar e aí minha memória embaça de vez e não me lembro de mais nenhum flash com claridade.

Eu queria o apoio dele para viver essa aventura, mas ele não me deu e isso me deixa mais insegura quanto aos meus planos. Ele já morou fora, ele sabe como é difícil, ele é mais velho e tem mais experiência. Mas ele não tem experiência no meu campo de trabalho, ele não sente nele essa vontade que eu sinto em mim de sair, de abrir as asas e voar um tempo. Eu sei tudo que eu tenho a perder. Eu sei que se quiser voltar não vai ser nada fácil, que encontrar um emprego vai ser muito difícil, que estarei atrás dos colegas na disputa por ter tentado algo diferente. Sei que posso dar errado lá fora, viver uma vida medíocre e em cinquenta anos morrer cheia de arrependimento da vida que vivi. E eu tenho medo dessas possibilidades, medo de dar um passo errado aqui e agora e nunca mais ser feliz, tenho medo disso todos os dias.

Mas se eu não tentar sempre vou me perguntar o que poderia ter sido. Eu não tenho problemas em dar passos atrás, de dar meia volta e mudar de caminho, chegar onde quer que seja atrasada porque a ideia inicial era ir para outro lugar. Desde que isso parta de mim. Eu odeio mudança de planos no meio do caminho, mas essa conversa fez eu perceber que odeio isso quando parte dos outros, se o plano mudar porque eu quis, porque achei necessário, tudo bem. Certos planos simplesmente não foram feitos para dar certo.

E, sinceramente, o que é dar um passo atrás na vida? Mudar de ideia? Ganhar menos? Fazer um trabalho mais braçal? Eu entendo que para ser feliz é preciso dinheiro, entendo que é necessário ter um certo plano a longo prazo e que a vida não é feita só de experiências sem destinação, mas dar uma pausa, dar "um passo atrás" não vai arruinar uma vida inteira. Vidas são coisas em constante mudança e para que elas sejam arruinadas é preciso uma série de eventos dos quais uma pessoa não é capaz de se recuperar. Eu não tenho vícios, tenho força de vontade, uma cabeça boa e um plano mais ou menos delimitado a longo prazo que nem é tão difícil assim de conquistar... entre os tropeços e erros de caminho é nisso que preciso me focar, em saber levantar e continuar andando mesmo com os socos que a vida me der.

Nenhum comentário: